sábado, 31 de agosto de 2013

A consulta do Darwin - parte I

Há pouco mais de um ano, a veterinária dos felinos diagnosticou o Darwin com uma doença endócrina chamada diabetes insipidus. Pra lembrar como foi, clique aqui.
Eu adoro a veterinária dos meninos e confio muito nela, mas confesso que sempre fiquei com "a pulga atrás da orelha" com o fato de não ter que fazer nada a respeito do diagnóstico. Acho que o ser humano sempre espera um "remédio" pra todos os males que possa apresentar. E pensar que não precisaria dar nenhum remédio pra tratar o problema do Darwin me deixava meio angustiada, com aquela sensação de que eu não estava fazendo o certo.
Em junho levamos o Darwin pra tomar as vacinas anuais e eu perguntei pra vet se não seria bom levar o Darwin num especialista. Fiquei cheia de dedos pra falar porque não queria que ela pensasse que eu estava subestimando o diagnóstico dela. Mas ela nos deu o maior apoio e disse que seria ótimo procurar um endocrinologista. Ela nos indicou uma médica e fez um encaminhamento explicando todo o quadro clínico do Darwin. 
Semana passada foi a primeira consulta com a endocrinologista. Nós adoramos a Dra. Alessandra. Ela nos explicou tudo direitinho, mas antes de fechar o diagnóstico ela nos pediu uma lista de exames de sangue e urina. Disse que tudo indica que o Darwin realmente tenha diabetes insipidus, mas antes ela precisa afastar a possibilidade de qualquer outra doença que poderia fazer com que o Darwin bebesse muita água. Se for diabetes insipidus central, o tratamento é super fácil; se for de origem nefrogênica, não há tratamento, mas ficar sem tratar (nos dois casos) não é nenhum problema, a não ser o de continuar comprando bastante areia por conta da quantidade de urina. A única recomendação é JAMAIS deixar faltar água. E se um dia ele precisar passar por uma cirurgia, não poderá fazer jejum de água.

Explorando o consultório

"O que é isso?"

"Legal! Deve ser uma cama"

Calculando o pulo







domingo, 18 de agosto de 2013

O Gato Que Ri

Logo que comecei a namorar o Mateus, há pouco mais de 6 anos, ele me levou num restaurante onde ele costumava ir e que serviam massas deliciosas. De fato, o lugar é agradável e a comida, super gostosa.
Só depois que virei gateira é que me dei conta do nome do restaurante: "O Gato Que Ri". Na entrada há um mosaico lindo de um gato sorridente dentro de uma cesta. Dentro do restaurante vemos fotos desse mesmo gato do mosaico, além de enfeites de gato por toda parte. Enche os olhos de qualquer gateira! Não tive a oportunidade de perguntar pro pessoal o porquê do nome, mas logo percebi que os proprietários do local são pessoas de bom gosto rs.




Fofura de cardápio


Detalhe do guardanapo

domingo, 11 de agosto de 2013

Dois anos de Juquice

Hoje é Dia dos Pais, mas é dia do meu Juquinha também! Parabéns pro meu frajola preferido!! Que Deus permita muitos anos de convivência, aprendizado e parceria com o gato que a cada dia se mostra mais confiante, mais carinhoso e mais manhoso. Esse é o Juca!
Aproveito para parabenizar os lindos irmãos do Juca: Wally, Odin, Raj e Nita.